Sobre o NEPE

Terça-feira - 20h10min
Quarta-feira - 20h00min

O NEPE, Núcleo de Estudo e Pesquisa do Evangelho ou, segundo atualização proposta por alguns, Núcleo de Estudos e Práticas do Evangelho, é um formato de estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espírita que tem como objetivo central aprofundar o entendimento e, por conseguinte, favorecer a aplicação das lições de Jesus e seus colaboradores diretos no Evangelho a partir das revelações e esclarecimentos trazidos pela Doutrina Espírita. Tem como inspirações principais a extensa obra do benfeitor Emmanuel de comentários acerca do texto evangélico, bem como o estudo minucioso do Evangelho, denominado Miudinho, iniciado por Honório Onofre de Abreu e outros companheiros em Belo Horizonte/MG na década de 1950. 

 

A proposta do NEPE surgiu em 2013, por meio de uma iniciativa junto à Federação Espírita Brasileira (FEB) de companheiros espíritas como Haroldo Dutra Dias, Simão Pedro de Lima, Saulo César Ribeiro, entre outros, com o objetivo de fomentar o estudo aprofundado do Evangelho à luz da Doutrina Espírita. Sua criação foi também impulsionada pelo lançamento, no mesmo ano, da tradução do Novo Testamento diretamente dos manuscritos gregos por Haroldo Dutra Dias. Desde então, vários núcleos independentes se formaram pelo país, alguns vinculados a federativas e outros não. No entanto, apesar de independentes, os grupos têm buscado manter uma constante relação entre si, de maneira a promover a sua integração e favorecer o intercâmbio de conhecimentos, experiências e práticas e, inclusive, fomentar a realização de possíveis eventos locais e/ou nacionais organizados por esses grupos. 

 

O primeiro ponto fundamental para esse processo é o entendimento mais amplo do mundo espiritual, das leis que o regem e de sua interação com o mundo físico, sobretudo por meio das revelações que a Doutrina Espírita nos traz. Isso nos ajuda a compreender os ensinamentos de Jesus à luz do Espírito imortal, extraindo da “letra que mata, o espírito que vivifica” e, por conseguinte, evitando as interpretações puramente literais do texto que tantas confusões e disputas têm causado ao longo dos séculos. 

 

Os ensinamentos do Cristo só podem ser plenamente compreendidos à luz dessa compreensão, que descortina para nós uma visão mais ampla da Vida e do Universo. Desse modo, conceitos como mediunidade, perispírito, reencarnação, lei de progresso, lei de causa e efeito, hierarquia espiritual, pluralidade dos mundos habitados, dentre tantos outros, esclarecem e explicam uma série de ensinamentos e passagens do Evangelho outrora obscuros ou mesmo incompreensíveis. Por isso dirá Kardec ser o Espiritismo a chave que nos faculta o acesso ao verdadeiro sentido destes textos. 

 

Outro ponto muito importante é a busca pelo conhecimento da cultura e do contexto em que Jesus estava inserido. Naturalmente que a mensagem do Cristo não está restrita a um tempo e a um espaço ou a um povo e a uma cultura. Seus ensinamentos se dirigem ao Espírito imortal e, portanto, são eternos e universais. No entanto, para nos transmitir esses ensinamentos, Jesus precisou revesti-los dos elementos de que dispunha então. Por isso, é importante que conheçamos melhor o arcabouço literário e cultural daquela época e daquele povo para que entendamos uma série de diálogos, falas e mesmo gestos de Jesus, muitos deles conectados ou fazendo uma referência mais ou menos direta a passagens e aspectos da própria Primeira Revelação ou do chamado Antigo Testamento. 
 

 

OBJETIVOS

  • Realizar estudos e pesquisas dos textos bíblicos, bem como da literatura afim, seja ela espírita ou não, com vistas a uma maior compreensão dos ensinamentos de Jesus e de seus colaboradores diretos, favorecendo assim a sua vivência;

  • Reunir amplo acervo bibliográfico e documental, de origem espírita ou não, de maneira a possibilitar as atividades do grupo e fomentar a realização desse tipo de estudo na casa espírita e no movimento espírita como um todo;

  • Promover o compartilhamento de conhecimentos, experiências e práticas relacionados a esse tipo de estudo com outros grupos afins e estimular a publicação do material obtido e/ou preparado a partir dos estudos e pesquisas do grupo, utilizando-se para isso dos mais diversos veículos de comunicação e divulgação;

  • Por fim e mais importante que todos, aproximar Jesus e suas lições dos membros do grupo pelas vias do conhecimento e, acima de tudo, do coração, proporcionando a renovação de sentimentos e, por conseguinte, de pensamentos, palavras e ações.

 

DINÂMICA DE ESTUDO

 

Apresentamos, a seguir, a dinâmica de funcionamento do NEPE Paulo de Tarso como uma possível inspiração para o grupo a ser formado. É importante frisar, no entanto, que não existe um modelo pré-determinado quanto a esse funcionamento e que cada grupo haverá de encontrar a dinâmica que lhe for mais proveitosa para os estudos, tanto no que se refere ao formato do estudo (diálogo em torno de uma mesa, apresentações, pequenas palestras, etc.) como também em relação ao cronograma dos textos a serem analisados (um evangelista de maneira sequencial, alternando entre evangelistas, aleatoriamente, etc.).

 

O NEPE Paulo de Tarso possui dois dias distintos de estudo, cada um voltado para uma abordagem específica: um para o estudo das Cartas de Paulo e outro para o estudo dos Evangelhos. Ambos os estudos têm 1h30min de duração e são realizados na forma de diálogo em torno de uma mesa, com cerca de 12 a 15 membros. A palavra é franqueada a todos que desejarem participar, a fim de que compartilhem o resultado de suas pesquisas e reflexões em torno do tema. Em geral, é analisado um versículo por estudo, embora alguns se estendam por dois ou até três estudos.

 

Ao início do estudo, solicita-se que algum membro do grupo realize a prece de abertura. Após a prece e os avisos iniciais que porventura sejam necessários, é feita uma breve revisão do estudo da semana anterior, de maneira a consolidar o que foi visto e a favorecer a conexão com o estudo do dia. Realiza-se, então, a leitura do versículo previamente estabelecido para aquele dia e os diálogos se estendem pelo tempo da reunião, sendo encerrados com uma leitura aleatória de um texto de Emmanuel de algum dos livros da série Fonte Viva. Por fim, solicita-se a algum membro do grupo que faça a prece de encerramento, concluindo os trabalhos do dia.

 

Recomenda-se que sejam designados um ou dois facilitadores mais experientes para o estudo, que terão as seguintes funções: coordenar a participação de cada membro no tempo devido segundo a ordem de solicitação, evitando a “monopolização” da palavra e estimulando a participação de todos; impedir que o estudo se desvie muito de seu foco central e acabe por recair em assuntos ou comentários em torno da vida pessoal desvinculados do tema em análise; conduzir, enfim, o estudo de maneira a garantir que ele alcance seu principal objetivo, que é o esclarecimento dos participantes em relação ao conteúdo moral do texto analisado. O vídeo a seguir ilustra bem a dinâmica de funcionamento de um NEPE: https://youtu.be/YlK-4qG7Gjw.

Associação Espírita Obreiros do Bem  |  São Carlos - SP  |  obreiros.bem@gmail.com  |  (16) 3368-5636

© 2017 Departamento de Comunicação Social Espírita